domingo, 13 de janeiro de 2013

O coitadismo

   Quando o vapor deixou de fazer os trens andarem deu lugar ao novo, entretanto, sua fumaça sempre será lembrada, assim como em alguns anos lembraremos de todos esses fios de energia, assim como lembramos dos nossos sorrisos ingênuos de quando éramos crianças sem preocupações, além dos deveres de casa.
   Hoje lidamos com deveres da consciência, com dever da ética sempre atropelada pelos que se consideram melhores. Pelos iludidos que acham que ver as pessoas de cima é o melhor jeito de controla-las e se mostrar um rei.
   Por favor, todos nos somos reis e rainhas do nosso próprio mundo, todos nós temos o direito de mandar e desmandar nas nossas ações, somos nós que construímos o nosso caráter, somos nós e não os outros. Pessoas reclamam o tempo todo de não ter dinheiro, reclamam de não ter pão, reclamam da sua misera vida triste. Reclamações não movem um mundo.
   Pobres dos que alimentavam a Maria fumaça, mais pobres ainda dos que hoje em dia a desprezam. O ser que não sabe viver esta condenado ao presente e o ser que sabe onde pisa conhece o passado, conhece seus valores e sua metas, um ser que de vez reclamar vai em busca do que quer, atinge seus objetivos e é o soberano do próprio mundo.
   "Cuidado com seus pensamentos, pois eles tornam-se palavras.
    Cuidado com as palavras, pois elas tornam-se ações.
    Cuidado com as ações, pois elas tornam-se hábitos.
    Cuidado com os hábitos, pois eles tornam-se a tua personalidade.
    Cuidado com a tua personalidade, pois ela torna-se o teu destino.
    O que nós pensamos, nós nos tornamos.- Alfred Roberts"

Nenhum comentário:

Postar um comentário