quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Muito mais poderoso que o Superman!


   Gosto de caminhar a noite... gosto de ver as luzes clareando o meu caminho. A noite sempre há surpresas, sem falar nos gatos que miam, gosto do miar dos gatos. Mas lembro de uma noite em que ouvi outro som, algo muito melhor. Era Helena em um beco sem saída cantando...
Helena cantando? Impossível, mas era.
   Olhei para ela e reparei em seus cabelos, não eram mais negros como a noite que gostava de admirar, estavam loiros, quase tão loiros que pareciam brancos. Peguei a sua mão e disse.
- Como esta?
   Ela abaixou a cabeça mas levantou o seu olhar em minha direção.
- Como acha que estou? - deu um breve sorriso, mas marcante - eu aqui neste lugar não te diz nada?
- Por que fez isto com seu cabelo, gostava de compara-los a noite, mas vejo que agora tenho que compara-los a lua...
   Ela deslisou a sua mão da minha e a enfiou no bolso tirando um cigarro, acendeu e disse:
- Tenho que ir, pois cada vez que te encontro você me deixa mais fraca. E não quero isso, também não quero que você se ligue mais ainda a essa merda de amor.
- Sou sua kryptonita Helena?
   Virou o rosto e para o caminho sem saída.
- Estou longe de ser um super herói para ser sensível a kryptonita- deu mais um da queles sorrisos de lado marcantes, e disse - alias quem tem que ter uma kryptonita é você, pois te acho um super herói por ainda não desistir do meu amor confuso.
   Virei de costas pra ela e fui andando, mas antes disse:
- Tu cantas divinamente.
   Saí o mais rápido que pude sem deixar rastros, para que ela prova-se no próprio veneno, só espero que não a mate. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário